Pragmatic Solorchestra / A Orquestra Solipsista

 

Eis o lugar comum: sozinho na multidão. Eis a frase feita: o caminho do artista é sempre solitário. Jogo de palavras: solitário, solidário. A orquestra, modelo de sociedade hierarquicamente organizada, organismo vivo com cabeça para batutar? Nada disso, esta orquestra é de um só. É pragmática. Solitária, sim, mas solidária.

 

O solo concerto-performance Pragmatic Solorchestra / A Orquestra Pragmática foi apresentado pela primeira vez em 2011 na Associação Liberdade Provisória (antigo espaço cultural na Avenida da Liberdade) em Lisboa. Por Nuno Reis (trompete e trompete preparado, objectos, electrónica, performance) e o público presente, a quem deve ser, sem sombra de dúvida, distribuída a partitura.

 

Para improvisação dirigida marque 1.
Para improvisação livre marque 2.
Partituras e outras sagradas escrituras, prima 3.
Simbiose, osmose e percepção aurática, marque *~(!)~*.
Para resolução de conflitos, marque 5.
Estados de consciência alterada, prima ?>(+)<?.
Ouvido absoluto ou otite serial, marque 12.
Urgências, marque 112.
Para voltar ao menu inicial, 0.

 

2011, concerto-performance Pragmatic Solorchestra 
@ Liberdade Provisória, Lisboa (excerto)

 

 

 

FICHA TÉCNICA


pexels-photo-590663.jpegNome da produção: 
Pragmatic Solorchestra / A Orquestra Pragmática

Espetáculos em exibição
 Pragmatic Solorchestra / A Orquestra Pragmática

Duração: 45m

Nº de elementos em palco: 1

Formação:
 Nuno Reis  trompete, tp preparado, objectos, electrónica, performance
 Público presente  partitura

Conceito, direcção musical
 Nuno Reis


Características: Palco, estrado ou espaço

Guarda-roupa: Estilo clássico

Situação: disponível