Sons do Rio #8

sonsdorio8

SONS DO RIO #8  | JANTAR + CONCERTO + WORKSHOP + JAM

CONVIDADO: Tiago Rêgo (percussionista)

Atenção: o workshop será na vespera ou no próprio dia à tarde em função dos interesses dos inscritos. Inscreve-te já para marcar presença. Inscrições para WORKSHOP e/ou JANTAR/CONCERTO aqui (para assistir só ao concerto ou participar na Jam a inscrição é opcional).

PROGRAMA:
WORKSHOP com Tiago Rego e Bitocas Fernandes (horário a definir com os incritos)

Sábado 11 de Novembro 2017
20H30 JANTAR (prato principal, arroz de aves)
22H30 CONCERTO (Tiago Rego e Bitocas Fernandes)
23H30 JAM (participação livre na jam + taberna da casa do rio)

LOCAL: Casa do Rio, Praça da República 73 1º Águeda

PREÇOS:
WORKSHOP 8€
JANTAR/CONCERTO 12€ | crianças dos 6 aos 12 anos: 6€
Só CONCERTO 6€
WORKSHOP+JANTAR/CONCERTO 16€
WORKSHOP+CONCERTO (sem jantar) 12€
JAM Entrada livre

SONS DO RIO
Sons do Rio são eventos de música criativa, com múltiplas formas de participação. A Glocalmusic, pela mão do anfitrião Bitocas Fernandes, convida em cada mês um artista diferente para agitarem as águas da cidade no que toca a propostas musicais mais experimentais e outros sabores relacionados, na icónica Casa do Rio. São encontros improváveis entre pessoas, arte viva e convívio. Com uma programação mais ou menos mensal muitas enchentes chegarão à Casa do Rio.

O WORKSHOP
Os workshops Sons do Rio são sempre diferentes e estão relacionados com os interesses de pesquisa de cada convidado. Desta vez o convidado é Tiago Rêgo, originário do brasil mas há uns anos a viver em Faro, traz-nos o fascínio pelas percussões tradicionais portuguesas. Uma oportunidade portanto para quem procura novas perspectivas musicais e um olhar fresco para as nossas tradições.

TIAGO RÊGO
https://www.facebook.com/rego.tiago
Autodidata da percussão, começa os estudos da percussão africana em 1996. 2 anos mais tarde entra para a conhecida orquestra de percussão tradicional Tocá Rufar onde além de músico era um dos maestros e formador em escolas do Seixal e Loures. Com Tocá Rufar, dá dezenas de oficinas um pouco por todo país (Lisboa, Porto, Faro, Almada, Pinhal Novo, Ovar, Fundão, Santo André, Santiago do Cacém, Grândola, Sines, entre outras). Em 2001 é convidado a ser o diretor musical do espetáculo Gigantones e Circaçudos (espetáculo promovido pelo Porto 2001, capital da cultura). Em 2006, já no Algarve, começa o estudo da percussão árabe e entra para o grupo de música mediterrânea Al-driça. Ainda nesse ano, volta a ser maestro e formador do Tocá Rufar em Tavira e Vila Real de Santo António. Em 2008 cria a ORA – Orquestra de Ritmo do Algarve – com jovens de Tavira. Nesse ano abre uma orquestra de percussão tradicional também na Mina de São Domingos (Mértola). 2008/09 é convidado a dar formação no módulo de música na escola profissional Alsud em Mértola, turma de animação sociocultural. Em 2013, 14 e 15 é formador convidado do Festival Internacional de Percussão de Portimão. Em Maio deste ano (2015) deu uma série de oficinas em escolas do segundo ciclo de São Brás de Alportel, Olhão, Loulé, Almancil e Quarteira. É convidado pela associação cultural Corpo de Hoje para integrar o projeto Dream first | ouvir a dança em parceria com a Sic Esperança. Dá workshops de percussão tradicional um pouco por todo país. Desde 2007 que implementa um método de ensino e uma pedagogia própria muito bem aceite não só pelos alunos, como também pelos professores, coordenadores pedagógicos, psicólogos e encarregados de educação.

BITOCAS FERNANDES
https://www.facebook.com/bitocas1
https://www.facebook.com/ojogoaberto
Nasceu em 1968, numa família de músicos. Experimentalista, improvisador e pedagogo. Ao longo dos anos desenvolveu uma metodologia muito pessoal para a experiência e estudo musicais em fusão com conceitos vindos de outras áreas do conhecimento. Os seus métodos encontram-­se espelhados no projecto O Jogo Aberto/Ginásio Musical que envolve design de jogos, de eventos performativos, workshops temáticos. Frequentou o Conservatório de Música de Aveiro e o Curso de Percussão da Escola Profissional de Música de Espinho. Mas, foi de forma autodidacta que desenvolveu a maior parte das suas experiências pedagógico-musicais. Iniciou um novo caminho de exploração criativa, promovendo eventos e contextos para a aprendizagem informal através do lúdico. Em Águeda, sua terra natal, fundou com seus irmãos a d’Orfeu ­ Associação Cultural, criou o AparqA! – Centro Criativo da Alta Vila (2008-2011). Coordenador de várias produções inter-associativas e fomentador da fusão entre disciplinas através do experimentalismo e da criatividade. Leccionou Expressões Integradas no Instituto Piaget de Viseu, colaborou como monitor no inicio do Tocá Rufar, com o serviço educativo da Casa da Música no Porto e com a Fábrica das Artes do CCB, colabora anualmente com a “Akademie fur Musikpadagogic”, Oberwisel, Alemanha. Atualmente é membro da Glocalmusic, cooperativa para o desenvolvimento da música criativa que ajudou a criar em 2016 e com a qual colabora regularmente com várias instituições artísticas e promove continuamente iniciativas que misturam arte e ludicidade.

GLOCALMUSIC
https://www.facebook.com/glocalmusic.coop/
http://www.glocalmusic.org/

A Glocalmusic organizadora dos Sons do Rio é um grémio recentemente criado para o desenvolvimento da música criativa. Está constituído como cooperativa e tem já atividade um pouco por todo o país, fazendo florescer redes entre aqueles que querem tornar a música uma ferramenta de inclusão, experimentação e descoberta.

FICHA TÉCNICA
Tiago Rêgo – Percussão
Bitocas Fernandes – Objectos sonoros e voz
Produção: Glocalmusic / Bitocas Fernandes e Maria José Filipe
Buffet – Maria José Filipe e Rosa Helena
Apoio: Município de Águeda e d’Orfeu

Contactos: vitoscar@gmail.com, tm 966264348